Grande parte da imprensa mente

Fazer matéria sobre os traficantes que vendem cocaína nos apartamentos das grandes cidades órgão nenhum da imprensa faz. Criticar a polícia todos criticam.

Por Tcharlles Fernandes

Circula desde ontem, 19 de novembro, em diversos portais de notícias do Brasil, a informação que um jornalista foi preso nas dependências do estádio Heriberto Hulse, em Criciúma, após filmar à ação da Polícia Militar. 

O repórter Jairo Júnior, da Transamérica de Curitiba, durante uma transmissão ao vivo do interior do campo foi conduzido à uma sala nas dependências do Estádio. O repórter alega que foi preso momentaneamente por estar filmando à ação da Polícia Militar, que instantes antes estava contendo um integrante da delegação do Paraná Clube. 

Ainda conforme o repórter, durante a condução, os policiais lhe agrediram e tomaram seu celular. Por se tratar da Polícia Militar, em uma ação legítima contra um descumprimento de lei, a imprensa está tendo o prazer de notíciar errado. 

O que de fato aconteceu

Durante o segundo tempo, logo após o empate do Criciúma e a expulsão de um zagueiro do Paraná, um dirigente do clube paranaense subiu as escadas do vestiário e acessou o campo de jogo, permanecendo em local proibido. Além do dirigente, o zagueiro expulso se recusou a ir para o vestiário.

Por conta disso, o quarto árbitro comunicou o árbitro principal do jogo, que posteriormente acionou a Polícia Militar para fazer a retirada dos paranaense do local, o que de fato aconteceu.

Três policiais militares se deslocaram até o local e pediram para que os envolvidos fossem para o vestiário, pois não poderiam estar ali. Um dos funcionários do Paraná acabou reagindo e precisou ser contido. Neste momento, repórter que alega que a PM lhe prendeu por filmar a ação, também foi conduzido momentaneamente, visto que um integrante da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) afirmou que o repórter estava fazendo filmagens com o celular pessoal de dentro do campo de jogo, sendo essa prática proibida porque o repórter não tem o direito de imagem, apenas de acompanhar os jogos e transmitir via rádio.  

A imprensa está vendendo o episódio com intenção de afirmar que a Polícia Militar conduziu o repórter porque ele estava filmando a ação dos policias, fato esse falso. O repórter foi sim conduzido, porém por fazer imagens de dentro do campo sem permissão. 

Recomendados para você

Bandidos rendem funcionária de empresa e roubam malote em Criciúma

Bandidos rendem funcionária de empresa e roubam malote em Criciúma

O assalto aconteceu na tarde desta quinta-feira.

Assaltantes invadem lavação, rendem trabalhadores e roubam veículo em Criciúma

Assaltantes invadem lavação, rendem trabalhadores e roubam veículo em Criciúma

Guarnições de toda região estão realizando buscas pelos criminosos.

Acidente deixa sete pessoas feridas em Criciúma

Acidente deixa sete pessoas feridas em Criciúma

Nenhum dos feridos corre risco de morte.