Decreto que obriga homens a servir ao Exército no carnaval é falso

Planalto diz que documento com medida de urgência devido à crise na Venezuela, que circula nas redes sociais, não é oficial.

Por Tcharlles Fernandes


Um documento falso com a imagem de um decreto presidencial que obriga todos os homens brasileiros com idade entre 18 e 60 anos a servirem ao Exército durante o carnaval circula por meio das redes sociais. O Planalto disse que “não se trata de informação oficial” e que, portanto, “trata-se de fake News”.

De acordo com o documento falso, a medida de urgência – que teria sido assinada nesta segunda-feira (25) – seria em decorrência do conflito com a Venezuela. Os brasileiros teriam que se apresentar às 18h do próximo sábado (1º) para o treinamento militar sigiloso.

Vale lembrar que o prazo para o alistamento no serviço militar no ano de 2019 começou em 2 de janeiro para os jovens brasileiros que nasceram em 2001. Apenas pessoas do sexo masculino, sejam elas cis ou transgêneros fazem o alistamento. Em tempos de paz, mulheres não atuam no serviço militar.

De acordo com o misnistértio da Defesa, o "alistamento termina no último dia útil do mês de junho e é necessário possuir um número de CPF para validar as informações."

Em situações específicas, rapazes podem ser dispensados do alistamento. "Quem for o único responsável pelo sustento da família deve procurar a Junta Militar do município para deixar de participar do alistamento. Já os portadores de necessidades especiais podem pedir a isenção do serviço militar. Nesses casos, é preciso apresentar um laudo médico que comprove o diagnóstico."

Recomendados para você

Duas mulheres morrem em acidente na Serra Dona Francisca

Duas mulheres morrem em acidente na Serra Dona Francisca

Elas estavam em um carro, que colidiu contra um caminhão na tarde desta quinta-feira

'Todo mundo me pede bilhete', diz menino que viralizou na web após tentar 'fugir' da aula

'Todo mundo me pede bilhete', diz menino que viralizou na web após tentar 'fugir' da aula

Gabriel conta que depois da repercussão nas redes sociais ficou conhecido como "menino do bilhete".

Bolsonaro diz que se eleito 'bandidagem vai morrer' porque União não repassará recursos para direitos humanos

Bolsonaro diz que se eleito 'bandidagem vai morrer' porque União não repassará recursos para direitos humanos

Bolsonaro afirma que ONGs de direitos humanos prestam um 'desserviço' ao Brasil.