Assalto a banco em Criciúma é considerado o maior da história de SC

O assalto entra para história.

Por Tcharlles Fernandes

Com ação de pelo menos 50 criminosos, dez automóveis e armamento de calibre exclusivo das Forças Armadas, o assalto ao Banco do Brasil em Criciúma (SC), na noite da última segunda-feira (30), já é considerado o maior do tipo na história do estado.

​Os criminosos atacaram o 9º Batalhão da Polícia Militar com tiros nas janelas, bloqueio na saída com um caminhão em chamas e explosão acionada por celular. "Uma ação sem precedentes", disse o tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, comandante do batalhão. A ação durou cerca de duas horas. 

“Já começamos o trabalho de investigação para afirmar que é o maior roubo em proporções em Santa Catarina", disse o delegado Anselmo Cruz, da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais). "A mobilização dos criminosos nesta madrugada é algo inédito no estado, pelo tamanho da ação." Para ele, o assalto foi "cinematográfico".

O Banco do Brasil informou ao jornal Folha de S. Paulo que não se manifestará sobre os valores roubados e disse que não houve nenhum funcionário ou colaborador ferido. A Polícia Militar, porém, prendeu quatro pessoas que recolheram R$ 810 mil espalhados pelo chão após a explosão de cofres.

A agência não abrirá nesta terça (1). Em nota, o banco chamou a ação do tipo "Novo Cangaço".

"Já temos absoluta certeza que se trata de uma ação planejada com vários meses de antecedência", disse o delegado Anselmo Cruz.

Ele comparou o assalto com o crime ocorrido no aeroporto de Blumenau em março de 2019. "O roubo em Blumenau começou a ser organizado nove meses antes e era de menor proporção."

A polícia suspeita que o assalto de Criciúma também teve um longo planejamento. Na manhã desta terça-feira (1), órgãos de segurança retiraram material explosivo que permaneceu no local. O Instituto Geral de Perícias (IGP) está trabalhando para coletar provas.

Segundo Cruz, a polícia suspeita que o crime tenha sido planejado por criminosos de São Paulo, que não são ligados a facções criminosas. "Não temos este perfil de criminosos em Santa Catarina. Pode ter algum integrante que seja efetivamente do estado, mas sabemos que é uma ação de fora", disse o delegado.

 

Recomendados para você

Saiba o que a PF apreendeu na Operação Alcatraz

Saiba o que a PF apreendeu na Operação Alcatraz

Dinheiro, veículos e equipamentos estão na lista.

Bandidos fortemente armados assaltam ônibus de Criciúma que viajava para SP

Bandidos fortemente armados assaltam ônibus de Criciúma que viajava para SP

Diversos disparos foram efetuados no interior do ônibus. Felizmente ninguém se feriu.

Veteranos fazem calouros simularem sexo em trote na Unoesc

Veteranos fazem calouros simularem sexo em trote na Unoesc

Caso ocorreu fora da instituição de ensino, que repudiou a ação e disse que irá tomar providências administrativas junto aos organizadores da ação.