Discussão entre oficiais da PM em grupo de WhatsApp expõe clima tenso com o governo de SC

A discussão ocorreu no último sábado.

Por Tcharlles Fernandes

Uma discussão em um grupo de WhatsApp onde todos os integrantes são oficiais da Polícia Militar de Santa Catarina mostrou a insatisfação de alguns militares com o governador Carlos Moisés (PSL). 

Tudo começou quando o Major Thiago Vieira, atual secretário de Infraestrutura de Santa Catarina fez uma postagem favorável ao governador e, em resposta, o Coronel Cláudio Koglin, ex-Subcomandante geral da corporação disparou duras críticas ao Major e defendeu a corporação que está em choque com Moisés, iniciando assim uma forte discussão. O Major defendeu o governador e a conversa beirou a ofensas pessoais.

Sábado - 06/06/2020 

13h03 - Vieira posta um banner do Governo do Estado sobre a queda do feminicídio em Santa Catarina. 

15h16 - Koglin posta uma afirmação sua no Instagram: "Esse governador faz propaganda com o esforço da classe da Segurança Pública. Não apontou recursos novos para segurança desde 2018." 

15h23 - Vieira compartilha a postagem de Koglin e escreve a seguinte mensagem: "Em que momento chegamos, a PM é o legislativo ou judiciário?" 

15h24 - Vieira segue escrevendo: "Coronel, você fala como se tivesse legitimidade, qual sua participação nisso? O que você contribuiu para Rede Catarina ou ações de violência doméstica?" 

15h30 - Koglin responde: "Vieira, parece que você esqueceu da onde você veio e para onde você vai voltar. Em nossas conversas quando você era adjunto da secretaria de Infraestrutura, já dava para perceber que você esqueceu facilmente da onde você veio. Talvez não queira voltar... Quanto contribuir ou não para implantação da Rede Catarina, na minha função fiz bem mais que você, pois sempre estive na linha de frente, enquanto você, surfou na onda. Diga algo que partiu desse governo para implementar algum projeto na Polícia Militar de Santa Catarina. Tudo que está dando certo, é fruto de bem antes desse Governo fraco. 

15h33 - Koglin segue escrevendo: "Quanto na legitimidade para criticar, me sinto muito mais isento, pois diferente de você que criticava as "boquinhas" enquanto não as tinha, continuo firme nas minhas convicções. Até o ano passado, ou melhor, até o começo desse ano Viera, você nada postava do Governo ou da Secretaria, o que mudou?"

15h35 - Koglin continua: "Por fim, não gostou, apague ou aprenda a respeitas a opinião dos outros. Até o momento não critiquei você ou fiz questionamentos. Apenas postei minhas ideias e teu momento neste Governo, peço apenas que respeite estas opiniões de um Coronel Reserva Remunerada, Major." 

15h38 - Completa o Coronel: "A PM está trabalhando sem o devido respeito desde Governo e desde governador que ajudou a eleger. Major Vieira, a PMSC é sua casa. Você voltará para completar sua carreira, assim espero." 

15h50 - Vieira Responde: "Coronel Koglin, a possibilidade de criticar todos nós temos e isso é precioso. Major, Tenente, Coronel ou Capitão... Lembro que somos oficiais, isso desde que ingressei defendi e jamais me afastarei. Agradeço pelos ensinamentos de saber como não tratar Coronel e Tenente-Coronel, a reunião do policiamento da ponte Hercílio Luz foi emblemática, ratifico muito aprendizado. Aliás, impressiona como após um mês sua opinião muda, afinal quando era Subcomandante suas postagens era de conformidade. Como prefiro não falar sobre pessoas, sugiro também que não me julgues, não tem esses direitos nem essas liberdades. Sobre a publicação, não vamos desvirtuar do foco, a melhor informação é perguntar para quem faz o dia a dia, pergunte aos policiais da Rede Catarina que iniciaram tudo isso, e saberás quem de fato "surfa na onda". Resumindo-se aos fatos, pergunte para quem faz esses resultados serem realidade. Ou apenas se informe, perceberás que contribuímos com a institucionalização do programa, elaboramos o marco conceitual, realizamos a primeira capacitação do programa, realizamos a POP e o seminário, para citar alguns. Enfim, desejo tudo de melhor para o senhor e sua família, que possamos construir uma segurança pública e uma Santa Catarina Melhor. 

16h02 - Koglin escreve: "Caro Vieira, não fui Subcomandante desde Governador, nem de outro. Fui Subcomandante do Coronel Araújo Gomes e a ele devo lealdade e em respeito a minha função, ao governador. Não cheguei onde cheguei, por caminhos diferentes que não sejam os méritos. Não tenho postagem de louvou a qualquer governo, mas acreditei nas promessas deste. Quanto a reunião da Ponte Hercílio Luz, não era minha intenção dar-lhe uma aula. Mas se você assimilou, fico grato pois defender os interesses de nossa instituição, o respeito para com o comandante do policiamento, já deveria ser matéria superada para você. Coronel, Tenente-Coronel ou Major que ocupam cargos no governo, continuam sendo oficiais da PMSC e de alguma forma, o Subcomandante geral deve ter o respeito desdes. Sempre é tempo de aprender! Que bom que você notou isto."

Leia o restante, agora com alguns prints da conversa. 



















O mal-estar entre o Coronel Klogin é o Secretário de Infraestrutura Major Viera, de acordo com fontes ligadas à reportagem é antiga. 

Recomendados para você

Moisés prorroga quarentena por mais cinco dias

Moisés prorroga quarentena por mais cinco dias

Trata-se do decreto 550/2020.

Coronavírus em SC: o que abre e fecha nos próximos sete dias

Coronavírus em SC: o que abre e fecha nos próximos sete dias

Governo de SC decretou situação de emergência e anunciou drásticas medidas para todo o território

Startup araranguaense é destaque em SC por crescimento e inovação

Startup araranguaense é destaque em SC por crescimento e inovação

No dia 16 de novembro, a empresa araranguaense Consolide Sua Marca, por causa de seu...