Incêndio de grandes proporções destrói o Museu Nacional, no Rio de Janeiro

Ainda não há informações sobre as causas do fogo, que começou após o fechamento do museu a visitantes; ninguém se feriu, diz museu. Instituição criada por Dom João VI tem 200 anos de história.

Por Redação

Um incêndio de grandes proporções destrói o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio. O fogo começou por volta das 19h30 deste domingo (2) e até a última atualização desta reportagem seguia destruindo as instalações da instituição que completou 200 anos em 2018.

Segundo a assessoria de imprensa do museu, não há feridos. Quatro vigilantes estavam no local, mas conseguiram sair a tempo. As causas do fogo, que começou após o fechamento para a visitantes, ainda serão investigadas.

A Polícia Civil irá abrir inquérito e deve repassar o caso para que seja conduzido pela Delegacia de Repressão à Crimes de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico, da Polícia Federal que irá apurar se o incêndio foi criminoso ou não. Testemunhas contaram que houve dificuldade por parte do Corpo de Bombeiros para puxar água para o combate ao fogo. A informação também será investigada.

Pesquisadores e funcionários do Museu Nacional se reuniram com o Corpo de Bombeiros para tentar auxiliar no combate das chamas. O objetivo orientar o trabalho dos bombeiros numa tentativa de impedir que o fogo chegasse em uma parte do museu que contém produtos químicos. Alguns deles são inflamáveis e usados na conservação de animais raros.

Calcula-se que o acervo tenha cerca de 20 milhões de itens, que estão sendo destruídos pelo fogo.

Fonte: G1

Recomendados para você

Mais um golpe em Criciúma; idoso é ludibriado e perde R$ 1.400 na Cidade Mineira Nova

Mais um golpe em Criciúma; idoso é ludibriado e perde R$ 1.400 na Cidade Mineira Nova

O fato foi registrado neste terça-feira.

Nenhum servidor de Criciúma aderiu ao lockdown não remunerado sugerido pelo prefeito

Nenhum servidor de Criciúma aderiu ao lockdown não remunerado sugerido pelo prefeito

O decreto foi assinado na última quarta-feira.

Nenhum servidor de Criciúma aderiu ao lockdown não remunerado sugerido pelo prefeito

Nenhum servidor de Criciúma aderiu ao lockdown não remunerado sugerido pelo prefeito

O decreto foi assinado na última sexta-feira.