Profissionais da saúde denunciam descaso da prefeitura de Criciúma

“Estamos infectando os pacientes”.

Por Tcharlles Fernandes

Ao longo da semana, alguns enfermeiros e técnicos de enfermagem que trabalham na rede municipal de saúde de Criciúma, denunciaram ao Portal Melhores Publicações que estão trabalhando em meio à pandemia do Covid-19 sem os Equipamento de Proteção Individual (EPI) adequados. 

Na linha de frente no combate à proliferação do coronavírus, a categoria está frequentemente exposta à doença respiratória que contaminou quase 100 mil brasileiros e, de acordo com dados divulgados pelas secretarias estaduais de saúde nesta quinta-feira (30), já causou 5.901 mortes no país.

Segundo as fontes entrevistadas pela reportagem, no preocupante contexto, o tratamento que a Secretaria de Saúde do Município tem cedido aos seus profissionais é exemplo de descaso. Sem a proteção recomentada pelos órgãos sanitários, os trabalhadores dos postos de saúde dos bairros e das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) tem adoecido a cada dia.

A enfermeira Joana, que teve seu nome alterado por receio de retaliação, discorre sobre os fatos.
“A Administração Municipal pede que economizamos no uso de máscaras. As máscaras que a prefeitura nos fornece já são de péssima qualidade, ainda assim agora passaram a obrigar que a gente use as máscaras produzidas pela Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc) para economizar. As máscaras produzidas pela Afasc não são regulamentadas. Nossos encarregados alegam que as máscaras estão com um valor acima do preço e se possível, devem até serem reaproveitadas.

Eles não querem saber se estamos doentes ou não. Nossa vida está colocada em risco a partir do momento em que não temos EPI. Temos um avental ralé para ficarmos oito horas de serviço. Estamos infectando os pacientes. A norma é usar com um paciente e descartar. Se usamos aquilo 8h, vou de um lado pro outro, é uma contaminação comunitária. Com certeza à falta dos equipamentos de proteção acarreta um grande risco, para nós e para os pacientes", alerta a enfermeira.

Prefeitura 

Procurada, até o momento a prefeitura não se manifestou sobre o tema. O espaço segue aberto.  

Recomendados para você

Santa Catarina pode ter lockdown de 14 dias

Santa Catarina pode ter lockdown de 14 dias

O governo foi avisado na noite desta sexta-feira.

Representando a presidência da Acafe, reitora da Unesc se encontra com governador de SC

Representando a presidência da Acafe, reitora da Unesc se encontra com governador de SC

O encontro aconteceu na Casa da Agronômica, em Florianópolis.

Bandido que matou mulher e manteve relação sexuais com o cadáver é preso em Criciúma

Bandido que matou mulher e manteve relação sexuais com o cadáver é preso em Criciúma

A prisão ocorreu no bairro Paraíso.