Defesa Civil emite alerta de temporais, com ventos de até 60 km/h

Em caso de emergências, é possível buscar ajuda com o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193, com a Defesa Civil, no número 199 ou com a Polícia Militar, no 190.

Por Redação

A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu um alerta na manhã desta segunda-feira (1º), sobre a possibilidade de chuvas com rajadas de vento de até 60 km/h. Segundo o órgão, as tempestades podem atingir principalmente as regiões Oeste e Sul, já a partir das 13h.

As pancadas de chuva devem ser acompanhadas também de raios e granizo em pontos isolados. O motivo é uma frente fria que avança pelo litoral e que deve derrubar as temperaturas a partir de terça-feira (2).

Segundo a Defesa Civil, os moradores devem se proteger em local fechado, caso haja a ocorrência de raios, além de ficar longe de placas, árvores, postes de energia e outros objetos que possam ser arremessados pelo vento.

Caso não seja encontrado um abrigo, a orientação é para ficar agachado, com os pés juntos, cobrindo as orelhas.

Para quem estiver na praia, a orientação é não entrar na água, sob nenhuma hipótese. A Defesa Civil também sugere que os moradores mantenham aparelhos eletrônicos desligados.

Em caso de emergências, é possível buscar ajuda com o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193, com a Defesa Civil, no número 199 ou com a Polícia Militar, no 190.

Recomendados para você

Quatro bandidos morrem durante fuga em Tijucas

Quatro bandidos morrem durante fuga em Tijucas

Os ladrões assaltaram um estabelecimento comercial e estavam voltando para casa.

Bandidos fortemente armados assaltam ônibus de Criciúma que viajava para SP

Bandidos fortemente armados assaltam ônibus de Criciúma que viajava para SP

Diversos disparos foram efetuados no interior do ônibus. Felizmente ninguém se feriu.

Defensoria busca prisão domiciliar com tornozeleira para mais de 500 presos em SC

Defensoria busca prisão domiciliar com tornozeleira para mais de 500 presos em SC

Pedidos partiram de uma força-tarefa nas unidades prisionais do Estado e ainda dependem de decisões judiciais